R.Carlos Meira, 340 - Penha de França, São Paulo - SP, 03605-010
  • (11) 3892-5438
  • (11) 3892-5442

Covid-19: empresas começam projeto-piloto para vacinar funcionários

DATA: 20/07/2021

Nesta semana, duas empresas vão começar um projeto-piloto para vacinar funcionários contra Covid-19. A ação acontecerá em Campinas - SP e as doses que serão usadas para imunização foram cedidas pela prefeitura, que está coordenando o teste.

Contudo, a faixa etária deverá ser a mesma que está sendo imunizada nas unidades públicas de saúde, de 33 anos. Não será possível, portanto, vacinar pessoas mais jovens do que a idade prevista no Plano Nacional de Imunização (PNI) e adotada pelo município.

As empresas que estão participando do projeto-piloto não tiveram os nomes divulgados, mas a ideia é que elas recebam as doses pela rede municipal, além dos insumos, como seringas, agulhas, caixa para descarte, algodão e álcool em gel.

Para aplicação das vacinas, o município treinou funcionários das duas companhias. Só será fornecida a quantidade exata de doses necessárias para os colaboradores cadastrados, para evitar duplicação.

Segundo o prefeito de Campinas, Dário Saadi, o sistema é inédito, porque transfere à empresa a tarefa de aplicar o imunizante.

"Nós mesmos já fizemos algo parecido com isso, quando aplicamos vacina nos funcionários do Aeroporto de Viracopos, mas agora é diferente. Quem vai aplicar será a empresa, com a equipe médica própria e a responsabilidade pela elaboração dos cadastros e preenchimento dos dados. Nós não vamos deslocar pessoal nosso para a empresa ", diz.

Projeto-piloto de vacinação nas empresas

Um chamamento público determinará as regras a serem observadas pelas empresas. Um dos primeiros critérios a serem adotados para se estabelecer a ordem da habilitação é a quantidade de trabalhadores.

A empresa terá de cadastrar todos os funcionários e depois entregar esse cadastro ao serviço público para evitar eventuais duplicações. "Se uma empresa, por exemplo, tiver 300 funcionários, e 250 na faixa de idade do programa nacional, vai receber 250 doses", afirma Dário.

O prefeito diz que não está adotando o sistema para desafogar a rede pública. "Nossa vacinação vai bem. Não temos fila. O que queremos é dar uma velocidade ainda maior. Além disso, tivemos a demanda das empresas, que querem vacinar seus funcionários."

A decisão de acelerar o processo de vacinação, segundo ele, decorre também do risco do surgimento na cidade da variação delta do coronavírus. Campinas ainda não tem nenhum caso confirmado, mas o prefeito acha provável que isso venha a ocorrer.

A ideia a partir de agora, diz, é concentrar a imunização na faixa de 18 a 35 anos, o que corresponde a ao menos 371 mil pessoas. "Um percentual grande desse grupo se aglomera, frequenta bares, e precisa ser imunizado o mais rápido possível."

O secretário de saúde, Lair Zambon, disse que a meta é aplicar 1 milhão de doses até o final do ano, além das cerca de 820 mil doses aplicadas até agora.

Fonte: com informações da Folha de S.Paulo

Compartilhar: